Mulheres Nas Olimpiadas - #BEDA8

8 de ago de 2016

Não sei se todo mundo sabe, mas para as mulheres ganharem um lugar nas olimpíadas demorou muito tempo. Lá em 1900, uma tenista e uma golfista participaram do torneio, mas indo contra todos os organizadores do evento. Mas antes disso, chegou a ser proibido a permanência de mulheres até no estádio.As mulheres lutaram tanto para conquistar um espaço, que até foi criado um torneio paralelo. Era praticamente inaceitável uma mulher praticar um esporte "masculino".Mas, conseguimos um espaço e muitas delas marcaram o nome nas olimpíadas e poucas pessoas conhecem quem são. Algumas conhecemos muito bem, outras nem tanto. Por isso, hoje resolvi fazer um post voltado para as brasileiras que marcaram o nome delas Vem conferir comigo.

Maria Lenk

A História da Maria Lenk começou com 10 anos, após um susto de uma pneumonia dupla. Seus pais decidiram colocar ela na natação, com a falta de piscina disponível, seus primeiros treinos foram no Rio Tietê - Ele ainda não era poluído. Aos 17 anos, Maria já era uma nadadora em nível internacional. Em 1932, ela foi a primeira mulher sul-americana a participar dos jogos de Los Angeles. Era ela no meio de 68 atletas da equipe brasileira. A própria atleta conta que naquela época eles custearam a viagem vendendo café e que ela competiu com um uniforme emprestado. Naquele ano.

Maria não ganhou nenhuma medalha em Olimpíadas. Mas em compensação foi a nadadora pioneira da era moderna, foi responsável por introduzir o nado borboleta após utilizar o mesmo em uma prova nos Jogos de Berlim em 1936, quando viajou com mais três nadadoras. Em 1939, nas preparações para os jogos de Tóquio, ela quebrou dois recordes mundiais no nado de peito com 200m e 400m, a primeira e unica brasileira a alcançar este feito. Em 1942 ela abandonou a carreira, mas em 1988  entrou para o Hall da Fama da Federação Internacional de Natação, estando na lista entre os 10 melhores nadadores do mundo. Isso não é pouca coisa, amigos.  

Em 2007, o parque aquático em que aconteceria os Jogos Pan-Americano foi batizado com o seu nome e em 2009 ela faleceu, deixando o seu nome marcado na natação brasileira.

Hortência Marcari, A Rainha


Sempre ouvi falar da Hortência na minha casa. Principalmente em jogos de basquete. Todo mundo se referia a ela como A Rainha e eu ficava na curiosidade pra saber porque a chamavam assim. Sempre que eu questionava, mamãe só respondia: " Nunca existiu uma jogadora melhor do que ela!". Concordo, mãe, concordo!. Confesso que fiquei feliz quando vi ela sendo a penúltima a carregar a tocha olímpica ( sendo bem sincera, achei que ela ia acender a pira e vibrei junto, mas o Vanderlei super merecia).

Hortência é a maior pontuadora da Seleção de Basquete brasileira, são 3.160 pontos em 127 partidas oficiais. São cinco mundiais. Ganhou medalha de bronze no Pan Americano de 1983, prata em 1987 e Ouro em 1991. No Campeonato Mundial na Austrália em 1994 ganhou a medalha de Ouro e nas Olimpíadas de 1996, medalha de prata. Uma das maiores homenagens que Hortência já recebeu, foi o convite para fazer parte do Hall da Fama de Basquetebol Feminino, dos EUA em 2002 e do Naismith Memorial Basketball Hall of Fame ( Hall construído em homenagem ao inventor do Basquetebol em honra a jogadores, técnicos e árbitros que contribuíram diretamente para história do Basquetebol) em 2005. E em 2009, ela foi nomeada diretora da Seleção Brasileira de Basquete Feminino. Rainha, sem dúvidas.

Ketleyn Quadros


A primeira mulher a ganhar uma medalha em esportes individuais para o Brasil foi a Ketleyn.

Judoca na seleção brasileira na categoria de 57 kilos. Ketleyn quadros ganhou a medalha de bronze nos jogos de Pequim (2008). E em 2010 ganhou a medalha de ouro no Sul-Americano em Medelín. Nessa competição, ela foi a porta-bandeira brasileira. 

Infelizmente, não se acha muita informação sobre a Ketleyn na internet. Mas que ela merece ser reconhecida, com certeza merece!

Marta

Não precisa nem colocar o sobrenome ali porque todo mundo sabe de quem eu estou falando.

Cinco vezes consecutivas escolhida como a melhor jogadora de futebol do mundo, em 2009 entrou para a lista dos 100 brasileiros mais influentes  e em 2015 se tornou a maior artilheira da história das copas do mundo de futebol feminino com 15 gols e a maior artilheira da seleção brasileira ( incluindo masculino e feminino) com 101 gols. Se eu fosse jogadora de futebol, com toda certeza, eu queria ser igual ela.

Ela é a única mulher a ter os pés marcados no Maracanã. Ganhou medalha de Prata nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 e Atenas em 2004. E medalha de ouro no Pan Americano de Santos Domingos em 2003 e no Rio em 2007.  Além do apelido de Rainha Marta, também chamam ela de Pele de Saia, se você nunca viu a Marta jogando, vai ver que de futebol ela entende e muito bem. Mais do que muitos outros jogadores que vemos por aí.

Torcendo para que esse ano saia o Ouro nas olimpíadas para a seleção brasileira de futebol <3

Maurren Maggi

A Maurren Maggi  é uma saltadora velocista brasileira. Lembro muito bem do dia que ela ganhou a medalha de ouro nas olimpíadas de 2008 no salto em distância. Saltando 7,04 metros, Maurren se tornou o maior nome do atletismo feminino brasileiro.

Ela é recordista brasileira e sul-americana do salto em distância. Tricampeã Panamericana ( Winnipeg 1999 | Rio 2007 | Guadalajara 2011). Recordista Sul-Americana na prova dos 100 metros com barreira em 2001 e do salto triplo em 2003. Por duas vezes na sua carreira foi numero 1 no ranking mundial do salto em distância em 1993 e 2003, e nona melhor atleta da história da modalidade em 1999. Foi escolhida pelo comitê olímpico brasileira como melhor atleta do ano por duas vezes. Ufa! Quantos prêmios!

Em 2015 a Maurren decidiu encerrar sua carreira. Optou por se tornar comentarista profissional do atletismo!

Essas são só algumas das meninas, tem da ginástica, do volei, vela e muitos outros esportes. Não é exagero, mereciamos sim um espaço nas olimpiadas.Antes que me perguntem, se eu pudesse praticar algum esporte seria natação ou ginástica, não sei nem fazer estrelinha, mas amo acompanhar a ginástica! hahaha

Espero que tenham gostado do post <3

Um super beijo e fiquem com Deus!



6 comentários:

  1. Gosteiiii do post, é bom voltar na História e ter conhecimento do antes :)

    *XoXo
    Helena Primeira
    Helena Primeira Youtube
    Primeira Panos

    ResponderExcluir
  2. Amo história, principalmente das Olimpíadas, pq sou apaixonada pela história grega, então eu simplesmente amei esse post! Conhecia apenas a Marta maravilhosa (óbvio), a Hortência e a Maria Lenk. Realmente foi uma conquista incrível das mulheres a participarem dos jogos, elas estão arrasando a cada edição que passa! Orgulho define ♥

    Com amor,
    Steph • Não é Berlim

    ResponderExcluir
  3. Oi Lolla, tudo bem?
    Me sentindo orgulhosa com essa mulherada!
    Muita coisa que disse é novidade para mim.
    Adorei o post!

    bjO

    Dany
    Blog Breshopping da Dany
    Conheça também o Breshopping da Dany KIDS
    Instagram: @breshopping_da_dany
    Twitter: @brechodanylins

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, adorei o post e saber que teve mulheres que superaram várias barreiras e puderam nos colocar em posição de igualdade perante os homens. São umas vitoriosas.
    São maravilhosas atletas as que você destacou , eu torço muito para cada uma, ainda são muito poucas em relação a quantidade de homens.
    Bjos,
    http://www.dmulheres.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Tenho certeza que ainda vamos ver muitas outras mulheres fazendo historia no esporte brasileiro. Beijos flor

    ResponderExcluir