Estar perto | #BEDA29

29 de ago de 2016

Aos 10 anos de idade eu enfrentei uma mudança muito grande na minha vida. Meus pais se separaram e minha mãe, junto comigo e meus irmãos, resolveu ir morar em Belo Horizonte.

Deixei minhas amigas e a minha família pra trás, em Pedro Leopoldo, cidade onde nasci e morei até este determinado momento. Em Belo Horizonte, eu só tinha meu tio e minha avó, eu não tinha ninguém pra brincar, ninguém pra conversar, ninguém para ir passar o fim de semana fora, igual eu já estava acostumada a fazer. Foi um choque. 

A minha família eu passei a ver de 15 em 15 dias, nos feriados e nas férias eu também fazia questão de dar um jeito de aparecer por lá. Eu contava para os meus primos como era viver rodeada de shoppings e ter que andar de ônibus para todos os lados e fazia questão de sempre deixar claro o quanto eu sentia falta do interior. Eu tentava aproveitar ao máximo todos aqueles dias com eles, pra brincar, pra conversar, pra deixar nossos pais loucos com todas as aventuras que queríamos embarcar.

Eu fui crescendo, minha visão foi mudando, meu estilo de vida era totalmente diferente de todo mundo. E por incrível que pareça, quando eu estava perto deles, era o único lugar em que eu realmente conseguia ser quem eu era. Eu não precisava saber de tudo o que estava acontecendo no mundo para que eles me desse um pouco de atenção. Eu só precisava estar lá e isso já era o suficiente.

Houve uma época, em que eu deixei que todos os meus compromissos em primeiro lugar. Eu só aparecia quando dava, quando não tivesse nada. Perdi aniversários, reunião de família, a primeira formatura das mais novas, a luta dos mais velhos. Lembro que no fim daquele ano, fiz um balanço e percebi que de 365 dias disponíveis em um ano, só 4  foram para eles. Meu coração ficou tão apertado, eu sabia que a minha vida era outra e que eles entendiam. Mas eu também sabia que quando chegasse o dia de ver eles, seria como sempre. Como se eu nunca tivesse ido embora, como se eu continuasse a mesma. Porque eles nunca olharam a minha vida, eles sempre olharam o meu coração.

Se acessarem meu instagram, vocês vão ver que tem mais fotos com a minha família do que com qualquer outra pessoa. Tem hora que precisamos estabelecer nossas prioridades, e eles são as minhas. Não é porque era necessário que eu estivesse 24 horas presente na vida deles, mas eu precisava deles. Precisava de estar perto de quem sabe quem eu sou, sabe as minhas raízes, sabe dos meus sonhos mais loucos, sabe dos meus defeitos, das minhas manias e das minhas birras e mesmo assim permanece do meu lado.

Existem pessoas que tem muito mais amigos do que parentes. Pessoas que preferem os amigos do que os próprios parentes. Pessoas quem não querem nem um, nem outro. Mas, eu sei, de um jeito ou de outro sempre vamos precisar de uma âncora para manter nossos pés no chão, para nos manter na realidade, ou só para nos manter firme. E eu fico feliz em dizer que se há um lugar que sempre vou querer estar, é do lado deles.


Porque não importa o que aconteça ou pra onde a vida nos leve. Quais sonhos vamos seguir ou como estaremos daqui a alguns anos. Quando estivermos juntos, sempre seremos os mesmos, as mesmas crianças que cresceram juntos. As mesmas manias que nos tornam diferentes, o mesmo amor que nos une.

Estar perto de quem você ama, não tem que ser uma obrigação, um peso ou uma cruz a ser carregada. Tem que ser simples, tem que ser leve, tem que ser de coração. Porque o que é sincero é sempre mais bonito, faz bem para os outros e faz muito bem pra você ( e pra mim).




2 comentários:

  1. Depois que tudo passar, esses momentos são uma das poucas coisas que iremo recordar.
    Adorei aproveite sempre assim <3
    Beijos

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Que post lindo, sério! Me identifico muito com o teu pensamento. Minha família mora em Belford Roxo (na Baixada Fluminense do RJ) e foi lá que eu cresci, mas ultimamente estou praticamente morando no Centro da Cidade e é um pouco difícil estar lá todos os finais de semana por conta da correria do dia a dia e até mesmo da falta de dinheiro. Porém nesses últimos tempos tenho percebido que lá é meu porto seguro e que eles que estarão ao meu lado quando eu precisar. Se eu posso gastar 50 reais numa pizza, porque não posso gastar 20 para ir vê-los? Eles são a prioridade.
    Amei o post, beijos!

    Me chama de Bella

    ResponderExcluir